10 mitos sobre viajar de avião

“Toneladas de metal flutuando por aí? Isso é impossível, mito!”

Bom, isso tem um nome e se chama avião!

A própria existência de um avião já traz essas idéias de que não é possível. Então é normal tudo associado a voar de avião estar cheio de mitos e crenças erradas.

Para resolver essa questão vou derrubar os mitos mais comuns sobre viajar de avião.

Pronto para mudar sua visão sobre viajar de avião?


1. Abrir a porta do avião durante o voo é um risco imenso

Na verdade não é bem assim. Quanto mais alto subimos, menor a pressão do ar. Para evitar que os passageiros fiquem sem ar por respirar um ar rarefeito (o mesmo enfrentado no alto de montes e montanhas), a cabine é pressurizada.

Ou seja, a pressão do lado de dentro do avião é muito maior do que a pressão do lado de fora. Imagine a seguinte cena: um menino de 7 anos vai competir com o Arnold Schwarzenegger no braço de ferro. Alguma dúvida de quem vai ganhar?

Pois é. Abrir a porta do avião durante o vôo, é como querer que o menino ganhasse do campeão mundial. Como disse Patrick Smith, piloto, blogueiro e autor, “você não conseguirá – eu repito – NÃO CONSEGUIRÁ abrir as portas com o avião em movimento. Você não conseguirá abrir pelo simples motivo que a pressão da cabine não vai te permitir!”.

Sabe aquelas cenas onde passageiros saem voando depois da abertura da porta? Deixa para os filmes de Hollywood.


2. Um buraco na lataria é um risco maior então, certo?

“Bom, abrir as portas durante o voo é impossível! E se por algum motivo tiver um buraco na lataria? Aí sim vamos sair sugados para fora do avião pela diferença de pressão não é? MEU DEUS!”

Calma lá! A lógica até faz sentido, mas o que temos que entender é qual o tamanho do estrago. Claro que se explodir uma bomba no avião, ou o dano for gigante, aí sim pode acontecer algo dessa magnitude.

Mas quando existe diferença de pressão, vai haver uma troca de pressão até que as pressões de dentro e de fora se igualem. Imagine o que acontece com uma garrafa de refrigerante:

Quando você chacoalha a pressão do lado de dentro da garrafa fica muito maior do que a do lado de fora. Então, se você abrir com tudo, vai jorrar refrigerante pra todo o lado (pode preparar o pano para limpar a bagunça!). Porém se você abrir só um pouquinho, o gás vai sair devagar, e não vai derramar muito. Agora imagine que a garrafa é o avião, e que o líquido são os passageiros, e coisas dentro do avião.

Para você ter uma noção, um avião da Alaska Airlines em 2006 teve um dano na fuselagem durante o voo. Por algum motivo foi criado um corte do tamanho de uma régua (cerca de 30 cm). Como o buraco era pequeno, a pressão sai aos poucos e se igualou com a pressão externa. Depois disso, o avião continuou sua viagem, e pousou sem problemas.

Ou seja, pode relaxar. É só lembrar que os voos não vêm com efeitos especiais de Hollywood como bônus pela compra do seu bilhete!^^


3. Você fica bêbado mais rápido se beber na altitude da viagem

Você já ouviu falar no programa Mythbusters, que aqui no Brasil passa no Discovery Channel? Dois cientistas e especialistas em experimentos e efeitos especiais testam mitos populares, como “É possível ensinar truques novos para cães velhos?”, “A regra dos 5 segundos funciona quando uma comida cai no chão?”, entre diversos outros.

Em um dos episódios eles quiseram testar se você realmente ficava bêbado mais rápido bebendo na altitude de cruzeiro de um voo. E depois de alguns experimentos eles determinaram que esse mito é FALSO!

A única explicação para essa mito pode ser o fato de a altitude gerar um pequeno efeito de falta de oxigênio no ar, fazendo as pessoas parecerem levemente bêbadas.

Então pode aproveitar seu vinho sem problemas!


 4. Os banheiros do avião ejetam os dejetos no ar quando damos descarga

Ia ser meio perigoso viver ou passar por regiões onde passam aviões não é mesmo? “Fui acertado por cocô de pombo. NÃO, É HUMANO!!” Ahh, que nojo.

Mas por sorte esse é um grande mito. A Administração Federal de Aviação dos Estados Unidos inclusive fez publicidade em diversos meios, como seu site e blog, explicando que é impossível para um piloto para abrir o tanque de dejetos e liberar seu conteúdo durante um voo.

Então, se você sentir algo atingido sua cabeça, é de algum pássaro, COM CERTEZA!


5. É possível ficar entalado no vaso do avião ao dar descarga se ainda estiver sentado

 

Adam Savage, um dos cientistas do Mythbusters também testou esse mito para ver se era possível. E ele mostrou que é quase possível, mas é muuuito difícil. Durante os testes ele testou diferentes posições, e inclusive testou pressões de sucção muito maiores do que o vaso usa normalmente.

O resultado foi que, mesmo com uma sucção altíssima, ele levantou sem problemas. Ainda assim você tem medo e quer garantir? Então levante antes de dar descarga que não tem erro!


6. O ar que é circula no avião pode espalhar doenças

Essa é uma dúvida que faz sentido. Na verdade bastante! Ninguém quer pegar qualquer doença dos seus vizinhos de viagem, não é mesmo?

Pois é, mas como falamos no artigo que conta os segredos que os pilotos de avião nunca vão te dizer, os aviões tem um sistema para evitar isso.

Todo o ar circula da frente para o fundo do avião. Ele vai para a parte de baixo da fuselagem, por onde passa por filtros de alta retenção, se mistura com ar fresco vindo das hélices (ar externo), e volta para o avião.

Para você ter uma noção da eficiência, os filtros tem a mesma qualidade dos filtros hospitalares. O ar se renova totalmente a cada 2-3 minutos.

Então, a única fonte de contaminação são os braços dos bancos. Mas nada que um álcool em gel não resolva.


7. Usar o cinto de segurança diminui sua chance de sobrevivência no caso de acidentes

Imagine a cena: acabou de acontecer um acidente de avião. Você sobreviveu. Mas agora não consegue mais sair do assento porque seu cinto travou. Imaginou? Pois é, essa cena foi o que deu origem a esse mito.

Mas a verdade é que sem cinto, provavelmente você não teria sobrevivido. Após a batida, o avião vai da velocidade que estava  para 0 km/h. Porém, todas as pessoas e objetos são arremessados na velocidade que o avião estava. Se você estiver sem cinto, as chances de se chocar com outro passageiro, banco ou objeto, e sofrer feridas fatais são muito altas.

Ou seja, é melhor lidar terminar com um cinto travado e vivo, do que solto, e já do lado de lá!


8. Pilotos conseguem diminuir o fluxo de ar para economizar combustível e manter os passageiros calmos

Esse é um mito que surge por falta de informação sobre os processos. O fluxo de ar tem uma configuração fixa, que é chamada de NORMAL. Em casos de mal funcionamento do sistema, ou alguma emergência o piloto consegue sim alterar o fluxo. As opções que ele tem são BAIXO, e ALTO.

A função ALTO só é usada quanto ele precisam de uma mudança rápida na temperatura da cabine (antes do embarque dos passageiros, por exemplo). A função BAIXO só é usada quando o número de passageiros está bem reduzido.

Sobre o oxigênio, é impossível o piloto controlar a concentração dele no ar. Isso porque o que vai determinar a quantidade de oxigênio no ar é a pressão. Quanto menor a pressão, menor a quantidade do gás por m². E isso não é possível alterar.

E na falta de oxigênio (chamada hipóxia pelos médicos), no início a pessoa pode até se sentir tranquila e relaxada, mas ela também causa dores de cabeça, confusão, e náusea. É só você fazer uma visita para algum lugar em alta altitude, como Cuzco, no Peru, ou Cochabamba na Bolívia para experimentar os efeitos da baixa concentração de oxigênio. Com certeza não é algo que as aeromoças e companhias aéreas queiram ter que lidar em todos os voos.

Portanto, um grande mito! Pode respirar tranquilo!


9. Máscaras de oxigênio são armadilhas feitas para acalmar os passageiros em casos de emergência

Esse não é um mito muito recente, mas foi bem popularizado pela seguinte cena do filme “Clube da Luta”:

A lógica do Tyler Durden no filme exigiria respirar maiores concentrações de oxigênio. Porém, é impossível o piloto controlar a concentração de oxigênio no ar. Como já foi dito no item anterior, o que controla a concentração do gás é a pressão.

O que acontece é, em caso de emergência que causa uma despressurização da cabine, as máscaras vão ser liberadas e o piloto começa a diminuir altitude até por volta de 3.000 m onde já é possível respirar o ar sem máscaras.

Portanto, é um grande mito! Pode respirar tranquilo!


10. É impossível sobreviver a um acidente de avião

Queda do avião da Malaysia Airlines, e do avião da TranAsia na costa do Taiwan. Quando vemos algum tipo de acidente de avião, como estes, na mídia, normalmente não existem sobreviventes. Por isso é normal acreditar nesse mito. Porém o que você não sabe é que um acidente leve de avião não chama a atenção da mídia, não dá audiência, e por isso, você nunca ouve falar.

Mas a realidade é que, de acordo com Comitê Nacional de Segurança do Transporte dos Estados Unidos, a taxa de sobrevivência de acidentes aéreos é de cerca de 95%. Ou seja, na média, caso você se envolva em 100 acidente aéreo (chances muito baixa), em 95 desses você sobreviveria.

Portanto, pode ficar tranquilo!