O que você só pode aprender viajando sozinho!

vertica

“E então, vamos?”

É muito legal viajar com nossos amigos, familiares, ou namorado (a) / marido ou esposa. Compartilhar momentos, ter histórias compartilhadas, fotos, e lembranças únicas.

E muitos tem um certo receio de viajar sem companhia. O medo de estar sozinho, a insegurança, ou até o julgamento social por não ter companhia ao entrar em restaurantes.

Porém, saiba que viajar sozinho é uma das melhores maneiras de ter uma experiência transformadora na sua viagem.

E nesse clima, quero compartilhar com você algumas coisas que você só pode aprender se estiver viajando sozinho!


1. É uma sensação libertadora viajar para algum lugar em que ninguém te conhece

Viajar sozinho para algum lugar é como se você estivesse começando de novo; como se você desse restart na vida e começasse do zero. Como se toda a bagagem, e responsabilidades da sua vida tivessem ficado em casa, e você está livre para um escape temporário.

Claro que viajar com alguém te traria de volta à sua realidade. E essa libertação é o que vai te fazer ver as coisas diferentes quando retornar!


2. Você passa a ter uma entendimento melhor dos lugares que você visitou

Por não ter ninguém com você para trocar, ao viajar sozinho você passa por uma imersão de verdade na cultura local. Você passa a prestar atenção ao seu arredor, os sons, os barulhos, o jeito dos locais, e até perceber detalhes sobre a língua, cumprimentos, rituais, tradições e olhares.

Essas percepções acabam te ajudando a entender muito mais sobre o povo e a cultura do lugar, do que se você estivesse conversando com alguém em português, e até contando histórias um para o outro, ao invés de aproveitar para criar uma nova história.


3. Você é livre para fazer (e se aventurar com) o que quiser

Não tem nada melhor do que não ter que negociar com ninguém o plano de atividades, e seguir sua curiosidade e vontade de conhecer lugares, e até poder improvisar.

Ao invés de seguir a vontade do seu amigo que resolver ter desejo por comer o lanche mais caro da cidade, ou ficar ouvindo ele reclamando dos mosquitos que resolveram estar no meio da floresta que vocês estão visitando, você pode fazer o que quiser, quando quiser, e da forma que achar melhor.


4. Você sempre volta pra casa com muitos amigos

Quando você está perdido e quer pedir informações, pra quem você prefere pedir, para uma pessoa sozinha, ou um grupo de pessoas? Claro que a primeira opção. Ou seja, pessoas sozinhas são mais fáceis de abordar.

Então, você vai ser mais abordado por outras pessoas e outros viajantes, que vão se sentir mais a vontade de falar com você. E também vai ser muito mais fácil para você começar conversas com desconhecidos.

De uma forma ou de outra você vai terminar conhecendo muitas pessoas!


5. Você consegue se conectar com os locais em um nível que só é possível se estiver sozinho

Você percebe que o pessoal local é muito mais aberto, e curioso também, se você estiver sozinho experimentando os sabores daquela barraquinha de comida na calçada, ou entrando naquele cafezinho dentro de uma portinhola.

Viajar sozinho vai te proporcionar algumas experiências como conversas profundas em ônibus, trens, ou outros transportes, e até famílias te abrigando por uma noite. Coisas que seriam muito mais difíceis se você estivesse sozinho.


6. Passar um tempo sozinho é saudável, e é algo que você quase nunca consegue ter

Com tanta loucura dos nossos dias, telefones, notificações no WhatsApp, Facebook, Instagram, noticiais, e-mails, e tanta estimulação, é quase impossível ter um tempo para nós mesmos. Mesmo se estivermos sozinho dentro de casa.

Gastar um tempo sozinho, e desligado do mundo, te força a refletir DE VERDADE sobre a vida, as suas experiências, objetivos, e qual caminho você está seguindo (profissional e pessoalmente).

Mesmo que algumas reflexões sejam verdade doloridas de se enfrentar, e de lidar, elas nos tornam mais fortes. Nos ajudam a clarear nossa percepção, para criar novos objetivos e tomar decisões agora para nos ajudar a chegar onde queremos no futuro.

Esse é o poder e passar um tempo sozinho realmente pensando e refletindo.


7. Estar sozinho te torna mais criativo

Vivemos em uma época em que todo dia se fala da importância da criatividade. Ao viajar sozinho, e passar mais tempo dentro da nossa própria cabeça, acabamos descobrindo fontes de expressão.

Seja através de escrever em diário, desenhar, filosofar, viajar com idéias de negócios futuros, estar sozinho é descobrir e desenvolver novas formas de nos entreter e divertir. E quem sabe nessa brincadeira você pode descobrir sua vocação?


8. Te ajuda a dar valor para as pessoas que são importantes na sua vida (e descobrir quais não são)

“Nós só passamos a dar valor ás coisas depois que as perdemos!” diz o ditado popular. Ao tomar distância da nossa vida, e das pessoas que fazem parte dela,  nós podemos experimentar perder essas pessoas. Mesmo que temporariamente.

Com isso, conseguimos perceber quem que nos faz falta; entendemos quais são as pessoas mais importantes para nós, e o que as faz importantes.

É muito comum não dar valor para quem está conosco no dia a dia. Mas ao viajar sozinho, você tem mais clareza sobre isso. E ao voltar fica muito mais fácil aproveitar melhor os pequenos momentos junto com elas, e até demonstrar sua gratidão de tê-las conosco!

Além disso, você consegue entender quais pessoas achamos que eram importantes para nós, mas na verdade não o são. Quais que na verdade são um certa má influência, que nos drenam, ou são de alguma forma “tóxicas” na nossa vida, e não nos ajudam a dar passos em direção o que queremos.

Com essas reflexões, fica mais fácil tomar decisões de relacionamentos quando voltamos.


9. E é até legal imaginar que talvez você seja o único aventureiro do mundo

No fundo, ir a lugares onde ninguém foi e ter uma experiência que ninguém teve o grande objetivo de todo viajante?

Mas a gente raramente se aventura tanto quanto gostaria, não é?

Ao entrar em um ônibus e ver que você é o único turista por lá, ou entrar em um café e ser o único que não fala a língua, traz de volta aquela fantasia de ser o grande aventureiro que está entre os locais. O único corajoso. O último dos moicanos. Ver um mundo que poucos viram antes.

Essa sensação é boa, e é até viciante. Depois de experimentado pela primeira vez,  dificilmente você não vai ter rounds 2, 3, 4, 500.000 no futuro.