Segredos que os pilotos de avião nunca vão te contar!

“Caramba, você é piloto então?! Deve ter várias histórias para contar!”

Com certeza algumas profissões são certeiras nesse quesito. Um comandante tem tantos segredos para contar que poderia escrever um livro.

Segredos esses que você nunca ficaria sabendo… até agora!

Para matar sua curiosidade, consegui reunir algumas confissões que vão te deixar de boca aberta! O único possível efeito colateral de ler esse artigo é não querer mais viajar de avião.

Se aceita o risco, sente-se, e descubra todas elas:


1. Esqueça as turbulências

Sabe aquele momento no meio do voo, que parece que o avião entrou em um liquidificador, e o piloto anuncia: “Senhores passageiros, estamos passando por uma turbulência!”?. Pois é, diferente dos passageiros, o comandante está bem tranquilo. Até demais.

Isso porque o mais perigoso para o voo não são as turbulências. Os pilotos apenas evitam a turbulência por que é irritante, mas não derruba nenhum avião.

Agora, pasme: o maior risco de quedas está nas decolagens e pousos. Chuva, vento, diferença de peso, atrito dos pneus, falta de força nos motores, são algumas das infinitas variáveis que estão presentes.

Por isso é preciso um piloto, bem treinado para lidar com todo e qualquer imprevisto nesses pontos chave. Está explicado por que estes são os únicos momentos do voo em que um computador ou piloto automático não conseguem realizar sozinhos.

Já sabe em que momentos você tem que cruzar os dedos!


2. O piloto e co-piloto não compartilham as refeições

Não, eles não se odeiam. E não é pela má qualidade da comida. Imagine que por algum motivo a comida esteja estragada ou contaminada com alguma bactéria, ou outro microorganismo. É melhor que apenas um deles passe mal para que o outro possa comandar o voo e pousar em segurança.

Além disso, no caso de sobrar comida, eles não podem guardar para um lanchinho, nem mesmo jogar no lixo. Ela vai ser guardada caso seja necessária qualquer análise no futuro.


3. Os celulares ainda não são perigosos

No passado, se acreditava que caso muitas pessoas resolvessem fazer ligações ao mesmo tempo os aparelhos de medição e outros instrumentos do avião poderiam sofrer interferências.

Porém não é mais grande segredo que isso já foi provado errado. Inclusive algumas companhias aéreas estão liberando o uso dos celulares em alguns momentos durante o voo.

Um motivo para seu uso ainda ser proibido é que, em caso de acidente, os aparelhos vão ser jogados pelo avião. Imagino que você não ia querer um celular ou tablet voando a 300 km/h entre os passageiros, não é mesmo?


 4. Eles não confiam em você

Apesar do que você possa pensar, o piloto não vê você como um confidente. Isso significa que ele não vai te contar tudo, apenas o que for essencial.

Imagine ouvir anúncios como: “As duas turbinas direitas tiveram perda de 10% de potência. Estamos solucionando!”, ou “Vamos atravessar uma corrente de ar da ordem de 150 km/h!”. Sem esse compartilhar muitas pessoas já morrem de medo de viajar e ficam imaginando o momento que o avião vai cair, imagine se contassem tudo?

E mesmo quando eles te contarem algo, não vai ser exatamente aquilo, mas pior. Ao invés de anunciar que “A visibilidade é zero”, você vai ouvir “Parece que há alguma neblina no aeroporto de X”. “Vamos em direção à uma tempestade de relâmpagos” vai virar “Parece que temos um tempo ruim /chuva a frente!”.

Agora, se você escutar um anúncio com algum problema, pode acreditar que é mais sério do que parece!


5. O combustível nem sempre é suficiente

Quanto mais peso um avião carrega, maior o gasto de combustível para movimentar essa carga.

Um avião carrega muito mais combustível que você imagina. Um Boeing 737 NG, por exemplo,  tem 3 tanques de combustível. Os dois tanques na asa, junto com o tanque na barriga do avião, tem capacidade de 26.896 L.

Sim, tudo isso! E esse é o grande paradoxo do avião. Quanto mais combustível carregar, mais combustível ele gasta para se manter no ar.

Então, os aviões hoje em dia voam com menos combustível do que alguns pilotos dizem se sentir confortáveis. E na maioria dos casos não gera problemas. Mas em caso de atrasos, ou tempestades, a falta de combustível pode obriga-lo a pousar em aeroportos alternativos e não o destino final.

Agora, se seu avião fizer um pouso de emergência em outro lugar, você já sabe o motivo.


6. Os voos duram menos do que informado

Uns dos indicadores mais importantes para ranquear companhias aéreas é a pontualidade dos voos. Quanto mais os voos saírem na hora e chegarem na hora, melhor.

Para conseguirem ter um bom nível de pontualidade, e ficarem melhores nesses rankings, as companhias aéreas em gerais superestimam o tempo de viagem. Ou seja, um voo que no bilhete diz que durará 2h, possivelmente levará 1h45.

Dessa forma eles conseguem compensar atrasos de espera para decolagens e outros imprevistos. Você já pode saber se tudo correu bem pela hora de chegada do seu voo.

Para descobrir quais são as companhias aéreas mais pontuais do mundo, confira o ranking.


7. Fique de olho nas aeromoças

É procedimento padrão dos voos pedir para todos os passageiros afivelarem seus cintos de segurança na decolagem, pouso e situações especiais durante a viagem. Mas você nunca achou estranho cobrarem os passageiros colocarem os cintos, mas as aeromoças continuarem de pé, ou se movimentando.

E esse é o segredo. Se você quer descobrir o tamanho do problema que vem pela frente, fique de olho nas aeromoças. Quando uma turbulência ou imprevisto mais forte vem pela frente, elas vão sentar e afivelar seus cintos também.

Ou seja, se elas fecharem os cintos, se prepare que vem problema!


8. Aterrissagem no mar?

Em casos extremos, uma das medidas é uma aterrissagem no mar. Assim como dizer “bater as botas” para alguém que morreu, o termo “aterrissagem no mar” é um eufemismo.

Quando um objetivo atinge 120 km/h ou mais, cair na água é como cair em uma parede de concreto. Por isso é tão arriscado mergulhar de grandes alturas. Um erro na técnica e pelo menos algumas vértebras vão quebrar. E você já atinge essa velocidade pulando de uma altura de 70 m.

Voltando ao avião, uma “aterrissagem no mar” seria na verdade uma colisão no mar. Por isso, quando acontecem acidentes você sempre vê fotos onde ao avião está todo destruído como se fosse um avião de papel.

Portanto, se ouvir um piloto avisar que vai fazer uma aterrissagem no mar, já se prepare para o pior.


9. Qual é a melhor poltrona?

Na prática não existe assento ou região do avião mais segura. Em caso de acidente todas as áreas vão sofrer iguais. Porém, é possível escolher um lugar que vai ter menos desconforto.

Imagine o avião como uma gangorra. E o eixo dele fica exatamente nas asas. Ou seja, quanto mais perto das asas, pior a vista, mas muito mais estável vai ser a viagem. E quanto mais longe das asas (no fundão, por exemplo) mais movimento você vai presenciar.


10. “Ar fresco e puro, por favor!”

Todos os aviões tem um sistema que circula o ar em círculos, passando por um filtro antes de reiniciar o ciclo, para evitar que sujeira e germes sejam espalhados para todos os passageiros.

E o fluxo de ar é sempre da frente do avião para o fundo. Então, se quiser respirar ar mais fresco e puro (ou menos contaminado), escolha um assento na frente. O lado negativo é que ali o ar também é mais frio.

Então leve uma boa blusa e aproveite o ar fresco!


11. Melhor hora do dia para voar

Se você enjoa facilmente, ou não gosta muito de viajar de avião, existe sim um melhor momento para o seu voo, e é pela manhã.

Isso acontece por que de manhã o solo começa a se esquentar, o que facilita e muito na decolagem e aterrissagem. Além disso, as tempestades são mais frequentes pelas tardes, quando as mudanças de temperatura no dia podem causar algum tipo de mudança nos ventos.


12. Chapéu é só pra “inglês ver”!

Você sempre vê nos filmes piloto e co-piloto entrarem no cockpit, colocar os fones e viajar sempre de chapéu, não é?

Já imaginou quão desconfortável ter os fones de ouvido apertando o chapéu contra sua cabeça? Se você não gostaria desse incômodo para você, imagine para alguém que vai ser a diferença entre o avião chegar a tempo no destino, ou cair em pedaços?

Pois é. No momento que entram na cabine, os chapéus saem da cena. Eles só voltam para suas cabeças na hora da saída.

Caso você visite uma cabine e veja o piloto e co-piloto de chapéu, saiba que eles estão prontos para fazer sucesso no Instagram!


13. Ser piloto está longe de ser um mar de rosas

Quem nunca imaginou que demais deve ser a vida de um piloto de avião? Viajar o mundo todo sem pagar, e ainda ganhando para isso.

Mas na realidade, os pilotos nunca vão te dizer a verdade nua e crua: Eles não ganham tão bem quanto os familiares acreditam, não aproveitam tanto os destinos quanto os amigos acham, e não tem tantos casos quanto seus cônjuges pensam.