Viajar barato – Nunca mais pague “preço de turista”

“Mas tome cuidado! Tem muita gente malandra lá no ______(país).”

Essa é uma das grandes preocupações quando vamos viajar para novas terras. E com razão!

Pessoas que tiram vantagem de turistas estão presentes em todo o lugar do mundo. “E como posso aproveitar minha viagem e evitar perder dinheiro por causa de pessoas mal intencionadas?”, você pode perguntar.

Para te ajudar, conheça dicas práticas sobre como viajar barato e não pagar “preço de turista”.

Vamos lá?


1. Descubra quanto realmente vale cada coisa

“Nossa mais isso está barato! Esse cinto de couro custa só US$ 10,00; vou levar!”

Será que esse é um bom negócio? Será mesmo que o produto está barato? E se você descobrisse que o valor real do cinto era US$ 3,00 como você reagiria?

Nós brasileiros temos uma mania de entender o valor dos preços pela comparação, pela “percepção” de preço, e não o quanto vale cada produto. Por isso que aqui é o reino das promoções, descontos e ofertas.

Para dosar isso, nada melhor do que entender o preço real das coisas. Pergunte para um local quanto custa normalmente o item que você quer comprar. Só não vá perguntar para o vendedor, comerciante, ou dono do lugar. Foque em perguntar para outro comprador, ou alguém passando na rua.

Essa é uma das dicas mais importantes de todas. Se desse artigo você tiver que levar para sua vida só uma dica, escolha essa. Aplicando isso, você já vai economizar e muuuito nas suas viagens!

Use sem moderação!


2. Aprenda a negociar

Minha vó, como grande pensadora e sábia que é, me transmitiu essa lição de vida: “Quem não chora não mama!”. Pura verdade.

Aqui no Brasil vivemos em uma cultura em que negociar não é tão difundido. Quando você viaja para lugares como Oriente Médio e Ásia, vai descobrir que negociar não só é comum, como já sai ‘de berço’. Crianças de 6 anos já estão barganhando por tudo.

Então, quando for viajar, aprenda a pedir. Peça descontos. Nos países onde é comum negociar, eles até esperam que você negocie, pelo simples prazer de negociar. Nem todos os países tem esse hábito. Mas isso não deve te parar.

Sempre busque argumentos para puxar o preço para baixo. Os mais comuns e que recomendo são:

  • Volume: Quando for comprar mais de um, peça o desconto. O item individual custa US$ 10,00, pergunte quanto fica pegando 2, 3, 5, etc.
  • Amostra grátis: Já conhecemos isso aqui nas feiras, quando o dono da barraca abre uma fruta e te oferece para provar. Mas serve para tudo. Claro quanto maior a quantidade que você for levar, maior a probabilidade de ganhar a amostra. Empresas grandes, chegam a ganhar computadores e iPhones ao negociar suprimentos para toda a empresa. Vamos aprender com elas.
  • Peças com Defeito: Busque uma peça com defeito, mesmo que pequeno, e negocie um preço menor para isso. Normalmente essas peças vão ficar paradas no estoque, e ninguém vai comprar. Já funcionou inclusive em grandes lojas em shopping (depois de negociar direto com o Gerente).
  • Combos: Parecido com o argumento de volume, porém seria para venda casada. Depois de escolher um produto, pergunte quanto sairia se além desse produto levasse outro. Ao comprar sapatos, quanto sairia levar um par de meias junto, p.ex.

Caso a pessoa se mostre inflexível, dê uma insistida. Lembre que alguns locais não vão te dar desconto, e isso é ok. Mas criando o hábito de pedir vai te dar mais frutos e economias do que evitar perguntar por vergonha ou medo de rejeição!

Lembre-se: o NÃO você já tem! Busque o SIM!


3. Evite gastar suas economias com taxi

Existe um tipo de serviço  que é famoso mundialmente por tirar vantagem de viajantes. Tem um palpite qual é? Sim, os serviços de transporte; Principalmente táxis, tuk-tuk e outros transportes particulares. Não é incomum te cobrarem de 5 a 10x mais caro do que o preço que vale. Experiência própria.

Em qualquer lugar você vai encontrar pessoas honestas, e outras não tão honestas.
Então o que você pode fazer para evitar ser engambelado é:

  • Descubra como funciona o transporte no local. Usando a dica anterior, descubra quanto custa em média os transportes, se táxis funcionam por rota ou taxímetro, entre outros. Essa informação é essencial.
  • Normalmente os taxistas que fazem ponto em regiões turísticas estão ali focando em turistas. Evite esses; ande algumas poucas quadras de pontos turísticos e peça seu transporte por ali. Maiores chances de encontrar um taxista honesto.
  • Observe quem está desembarcando de um táxi. Se forem pessoas locais, maiores as chances de ser um taxista honesto que não está na região para tomar vantagem de turistas. Foque neles.
  • Para evitar que na chegada ao destino o taxista passe um preço exorbitante, pergunte antes quanto sairia para te levar ao destino. Fazendo isso você consegue comparar com o preço que os locais te falaram que vale. Outra vantagem é que o que é combinado não é caro. Se ele mudar de ideia e quiser cobrar mais, você pode se negar e pagar o que ele disse no início.

Em últimos casos, procure formas alternativas de transporte. Grandes cidades tem serviços como o Uber, Lyft, entre outros. Lembre-se que no modelo do capitalismo, só uma pessoa sai ganhando com a concorrência: os Usuários.


 4. Seja um local

”Não vamos lá não. Lá é lugar para turista!”. Aposto que você já disse ou ouviu pelo menos uma vez na vida algo assim. Eu também!

É muito comum encontrar lugares que vendem produtos por um preço muito mais alto, às vezes até o dobro. São os lugares para turistas. Nós que moramos aqui não caímos nessa. Então vamos seguir essa dica… lá fora!

Frequente lugares onde os nativos vão. Quanto mais pessoas locais no lugar melhor. Isso é um ótimo indicador de que o lugar tem um preço aceitável e não superfatura seus produtos.

Além de economizar essa é melhor forma de sentir como é viver naquele país de verdade, e não como é ser turista por lá! Isso serve tanto para alimentação, lazer, e cultura.


5. Cuidado com pessoas muito amigáveis

Uma das coisas mais legais de viajar pelo mundo é conhecer pessoas excepcionais, que acabam se tornando grandes amigos. Porém, por mais que seja muito legal ver a disponibilidade das pessoas, você deve ter um pé atrás no primeiro contato.

Lembre-se que nem todos os países do mundo tem uma cultura tão aberta a estrangeiros, e pessoas calorosas para ajudá-los. Se algum local estiver muito animado querendo te levar a lugares, restaurantes, pousadas, desconfie.

Em geral, eles têm parcerias em que ganham comissão por levar pessoas a esses lugares. Mesmo que não tenham, alguns deles ao chegar no destino vão esticar a mão pedindo um troquinho “pela ajuda”.

Se você já seguiu a primeira dica, vai saber quanto vale os serviços. Assim evita de cair em uma armadilha e pagar mais do que vale. Então, se abordado por alguém, já avise que você não vai pagar nada pela ajuda. Por mais que possa soar estranho, pessoas que tem a “cara de pau” para fazer isso não vão se ofender. E mesmo se ela tiver boa intenção, com certeza entenderá sua preocupação.

Isso é muito mais comum acontecer nos países do Oriente Médio, e Ásia em geral. Então fique com um olho atento a esses casos.


6. Conheça as armadilhas mais comuns

Se você for pesquisar vai saber que pessoas que tiram vantagens de turistas são muito criativas na forma de criar possíveis golpes para tirar sua tão suada bufunfa.

Os truques são bem diversos e podem ir desde fingir ser policial, e pedir um ‘por fora’ para regularizar sua situação, taxis que dão voltas imensas, cobranças de taxas extras por qualquer coisa alegando algum motivo para isso, entre outros.

Porém cada região tem uma sequencia de truques comuns. Portanto, antes de embarcar, conheça os principais golpes aplicados a turistas no país que você estiver viajando. É algo simples de encontrar na internet e vai abrir os olhos para as possibilidades de tirarem seu dinheiro.


7. Fique de olho nas novas companhias

Esse é um truque bem comum. Mas como é muito específico, resolvi destacar por si. Muito mais comum para homens. Imagine a cena: você está viajando sozinho ou com amigos, e algumas pessoas (principalmente mulheres bonitas) começam a puxar assunto.

No meio do papo interessante, vocês acabam pagando uma rodada de drinks para elas. Nada mais do que justo pela hospitalidade, certo? Talvez não! Muitas vezes essa rodada de drinks vai sair beem salgadas.

Normalmente os drinks que eles (ou elas) pedem são os mais caros do lugar. Independente de se tratar de pessoas tentando tirar vantagem de turistas “cheios da grana”, ou de pessoas contratadas pelo restaurante para tal, merece uma atenção sua!


Agora que você já aprendeu as principais dicas para evitar que tirem vantagem de você, gaste esse dinheiro para tornar sua viagem ainda mais incrível!

Que tal já programar sua próxima viagem?

Uma das coisas que mais preocupa seus planos de viagem é o alto custo de viagens de avião?

E se você pudesse durante uma semana receber excelentes conteúdos GRATUITOS online sobre como acumular milhas de forma bem rápida e praticamente viajar de graça?

Para ajudar pessoas como você, vou realizar o maior evento online sobre o assunto: a 2ª semana das Milhas Aéreas. Nesse evento 100% gratuito e online, vou compartilhar conteúdos que vão te ajudar a reduzir o custo de sua viagem, e acelerar seu acúmulo de Milhas Aéreas.

Não importa a sua idade, se tem cartão de crédito ou não, o método funciona para você, e é 100% gratuito.

Para receber esses conteúdos no seu email, clique aqui!

Comece hoje mesmo a economizar nos seus custos de viagem.

Suas férias nunca mais serão as mesmas!

E boa viagem!